Provence – 10 dias de muitas lembranças…

Quando abri o site da Oshadhi em busca de informações sobre óleos essenciais que tenho na loja, pensei comigo “ah vou olhar o que tem de novidade no blog” e UAU!!! Tour Aromático pela Provence!  Comecei a ler a mensagem e convite para participar e na mesma hora já me imaginei passeando naquele local. Mas e aí vem o que se pergunta primeiro: quanto? Será que caberia no meu bolso? Li o anúncio uma, duas e na terceira não resisti, preenchi o questionário pedindo para ir à França. Fiquei aguardando a ligação do Yan e nada dele ligar, pensei comigo será que não fui aprovada, será que tem tanta gente assim na lista de inscritos, “Meu Deus” quero muito ir nesse passeio. Pensei comigo “Eu mereço”, estou trabalhando há quase três anos sem férias, não foi fácil enfrentar um mercado em que as pessoas não conhecem as terapias naturais e integrativas. Então meu marido (um ser especial na minha vida) resolver me dar de presente.

   

Sou terapeuta com formação em técnicas integrativas por uma escola reconhecida pelo MEC, com estudos de um ano em Massoterapia baseada não só em fisiologia (funções) e anatomia (estrutura) humana, sistemas ósseo, muscular, nervoso, reprodutor, endócrino, urinário e tegumentar. Mas associado a medicina tradicional chinesa como amplo conhecimento das práticas energéticas (energia vital do corpo ,Ki ou Chi, mencionada no Nei Ching, a enciclopédia médica do Imperador Amarelo de 2500 a.C., mostrando uma das formas mais antigas de tratamento do corpo humano. Unindo essas práticas integrativas a Aromaterapia, os resultados são surpreendentes. Venho acompanhado os trabalho de fisioterapeutas praticando o uso de óleos essenciais em atendimentos clínicos com resultados incríveis acima do esperado na recuperação de dores crônicas e problemas de privação de movimentos.

E maior sonho maior de um Aromaterapeuta além de ver resultados positivos na saúde das pessoas, é encerrar um tratamento com a cor lilás no final de uma cromoterapia, ou de um Reiki imaginando que está numa plantação de lavandas.

E assim se concretizou meu sonho, dia 2 de setembro embarquei em São Paulo para Madri, de Madri para Marselha. No aeroporto de Guarulhos encontrei-me com Raquel, bióloga com quatro doutorados em microbiologia, que encanto de pessoa, um gênio querendo conhecer melhor sobre aromaterapia e criar produtos naturais para a saúde das pessoas que acreditam em uma vida mais saudável. Chegada em Marselha, encontramos com Beatriz Yashimura e Emilia Kiyohara, mais duas pessoas incríveis fundadoras da Aromaflora no Brasil, com vinte anos de experiência em aromaterapia.

E o grupo foi crescendo encontrando novos estudiosos e interessados de conhecer a Terra Encantada das Lavandas. No hotel sábado no café da manhã encontramos com Yan, Leandro, Fernanda, Jane e Karin. Imaginem a festa e as risadas, como disse um Senhor de uns 70 anos que estava a nos observar: “uma mesa com tanta alegria e muita prosa só pode ser de brasileiros”. E um pouco mais tarde nos encontramos no aeroporto novamente com o restante do grupo, apresentações feitas, vamos reconhecendo pessoas que estavam muito próximas na minha cidade de Curitiba como a bióloga Leylaine e seu pai Ariel, distribuidor de ervas para todo o Brasil, e assim distribuídos em quatro grupos seguimos ao nosso destino: Aurel – Côte D’Azur na Provence.

Parada para o almoço e a vontade de chegar logo, nos fez almoçar rapidamente e seguirmos viagem, foram quase duas horas de viagem serra acima, Aurel uma pequena Vila está a 900 metros de altitude em relação ao Mediterrâneo, onde as lavandas recebem o calor intenso do verão, mas também adormecem no inverno cobertas de gelo. Esse choque térmico faz com que elas produzam um óleo essencial cheio de propriedades curativas porque resistem a baixas e altas temperaturas, é a sua própria defesa e força de sobreviver que ficam reservadas em suas flores cheias de vida que as fazem brotar na primavera com muitas abelhas fazendo a polinização.

A chegada no Orto de Prouvenço é encantadora, a visão das montanhas, o perfume das flores no local, principalmente o aroma dos pinheiros, cedros, ciprestes (coníferas antigas), descemos do carro e enroscamos em uma grande árvore de carvalho, para nos receber, esticando as pernas cansadas da viagem e a cada passo, uma visão surpreendente de plantas medicinais logo na entrada da propriedade do Dr. Malte Hozzel.

Ao receber as chaves dos quartos descobrimos eu e Raquel, Fernanda e mais algumas pessoas ficaríamos em um local 500 metros distante da casa principal, de início pensamos nossa! que caminhada longa para o descanso noturno. Mas que nada, uma caminhada cheia de descobertas botânicas, uma semana subindo e descendo a pé, foi pouco para descobrir quais as plantas que mais surgem da terra árida, um terreno muito calcário, onde se vê lavandas selvagens saindo em meio as pedras, e muitas mudas de tomilho, alecrim e artemísia em variadas espécies, não conseguimos identificar todos os cedros, pinheiros, ciprestes e abetos que vão surgindo pelo caminho e que fazem parte da floresta local. Alguns sustos com animais selvagens como um pequeno porco do mato que atravessou a estrada rapidamente, barulhos estranhos quando descíamos mais tarde a noite com a lanterna do celular a postos, e é claro que não podiam faltar histórias de fantasmas no local, barulhos estranhos como pessoas arrastando os pés, cajados batendo no sub-solo. O céu a noite é de um esplendor de tirar o folego, luzes da cidade não atrapalham a visão noturna que aqui só vemos em telescópios.

Com as malas desfeitas, saio para descobrir os encantos do local, uma bela piscina logo atrás da residência reformada de uma antiga construção feita em pedras que funcionavam como pequenos fortes contra as invasões inimigas. Todos os quartos oferecem o melhor da uma hotelaria, muito bem decorado no estilo provençal moderno, com aquecimento e ducha atuais. Sigo com minha curiosidade olhando cada detalhe, com olhos de uma Design de Interiores que já fez parte da minha vida, vejo vasos com plantas medicinais, móveis rústicos no estilo praia para um café da manhã ao ar livre, solário para os dias mais frios, em uma vista esplendorosa da mata silvestre local, revirando o local uma plantação de lavandins já cortada, que pena, poderia estar ali cheia de flores para um maior encantamento.

Primeira noite, feitas as apresentações de cada participante ouvimos a palavra do Dr.Malte Hozzel, Dr.Guilherme e os filhos Yan e Yuri, todos nos deram as boas vindas.

Segundo dia Orto de Prouvenço, em Aurel, café da manhã bem ao estilo francês, pães rústicos, queijos, croissants, bolos, geleias, frutas, mel de lavanda e muito mais… nossa primeira aula foi ir à feira de Sault como é conhecida a Capital da Lavanda, para descobrir os aromas do sabão feito com matérias primas da região vendidos na feira local, e todas as delícias de alimentos da região, óleo de oliva, artesanatos com flores, madeiras, cerâmica, antiguidades, enfim tudo que se espera de uma feira livre… E todo o encanto e charme das construções em pedras, característica de cidades centenárias da região da Provence. Maravilhados também com a vista de alguns campos de lavanda que para nossa tristeza já estavam sem as flores. Mas não diminui a beleza da paisagem.

Só então após um almoço de delícias vegetarianas, iniciamos a nossa primeira aula no Orto de Prouvenço. Nossas aulas foram permeadas da rica experiência de casos médicos com Dr. Guilherme, da rica MTC trazida pela nossa experiente Emília Kiohara, novidades da aromaterapia com Beatriz Yoshimura, aula de perfumaria com a esposa de Dr. Malte, Fabiene nos presenteando com a proposta de cada um construir o seu próprio perfume com óleos essenciais raros da Oshadhi.

A cada dia um complemento sobre óleos essenciais da Oshadhi com Dr. Malte nos orientando e ensinando como perceber a sutileza das plantas, como se trabalha com a vibração do mundo botânico no sentido de aproveitar o melhor das plantas aromáticas em tratamentos de doenças, principalmente o câncer. Com muito amor no coração e respeito pelo que a natureza nos oferece.

Yan e Yuri também trouxeram aulas sobre as plantas brasileiras, a história de unir a Tunupa com a Oshadhi, e muitos casos médicos. Origem e estudos filosóficos da atuação da parte energética vibracional das plantas. Yan e Yuri também nos falaram das plantas brasileiras levadas para Europa e como foram apresentadas em Congressos como o Botânica2018 feito este ano na Inglaterra.

Acompanhando-nos diariamente estava Dr. Abilach, médico indiano com especialidade em Ayurveda, onde faz parte de uma equipe do Asharan da Oshadhi no Sul da Índia, fez atendimentos para os alunos que ainda desconheciam esse tratamento e também para aqueles que já são práticos nessa terapia indiana com especializações no Brasil. Nos orientando em nutrição, indicações na alimentação para cada dosha (tipos físicos da Medicina Ayurveda).

E os dias passaram muito rápido, entre as aulas surgiram os passeios na região, percebi que por onde passávamos dava para ver pequenas plantações orgânicas de lavanda e lavandins que estão apenas no Maciço do Lubéron (região onde ficam Gordes e Roussilon, vilarejos medievais próximos de onde estávamos e que Dr. Malte nos levou para conhecer). Depois fiquei sabendo que as plantações maiores que vemos em fotos na internet são de uma região um pouco afastada no Plateau de Valensole.

Já nos primeiros dias visitamos uma empresa que faz a destilação dos produtores locais inclusive para Dr. Malte. Assistimos a destilação de perilla, uma planta originária da Índia muito usada para melhorar a imunidade e tratar pessoas com câncer. E em seguida de uma outra planta que rendeu apenas 100 ml de óleo essencial, da qual se pode aproveitar melhor o hidrolato para não ter prejuízo de todo aquele trabalho.

E na propriedade de Dr. Malte assistimos a destilação de lavandin, com uma aula do Sr. Gui, quase um centenário muito bem disposto e alegre a nos ensinar a técnica de destilação que está em sua família a mais de três gerações.

A cada passeio um novo encanto com as relíquias e antiguidades na região, conhecemos um Jardim D’abbaye de Valsaintes, com identificação de ervas e flores, um carvalho de mais de 300 anos imerso nas rochas, tudo cuidado por um ser mitológico chamado Dragão Rock, este local foi habitado desde o paleolítico, onde os seres acreditavam que existia ali uma reconexão da natureza com o homem, tem até um relógio do Sol e marcações astrológicas; também conhecido como Vale do Absinto, local onde viveram monges do Séc. XII até a revolução francesa, o caminho das rosas nos leva a uma pequena Igreja da Abadia, ouvimos um grupo de músicos no local que nos levou aos céus, com músicas sacras.

Entre os passeios nessas localidades sentimos a alegria de poder comprar lembrancinhas, e experimentar o famoso sorvete de lavanda, e o creme brülée à la lavande.

O mais impressionante dos passeios com uma vista panorâmica da região foi no Mont Ventoux, o gigante da Provence com mais de 1900 metros de altura, um pouco longe de onde estávamos, mas valeu a viagem, um local onde os praticantes de ciclismo e caminhadas são encontrados pela estrada sinuosa. E no verão europeu pudemos avistar ao longe as cadeias de montanhas mais longínquas em outras divisas e os pequeninos campos de lavanda aos pés da montanha.

Assim encerramos a jornada em Provence, com um aprendizado sob novas lentes, a espiritual, energética e botânica. Com um ciclo de amorosidade que faz do nosso planeta um ser vivo em expansão, envolvendo o ser humano, suas plantas e animais, todos em um único processo evolutivo através do respirar e expirar, sentir a cura através das plantas.

Agradeço a todos do grupo como um Todo, quase 30 pessoas incríveis do Brasil todo reunidas em uma única experiência olfativa e sensitiva da aquarela mais linda do Mediterrâneo. E à Equipe Oshadhi que nos proporcionaram esses maravilhosos dias alegres de final de verão na Provence.

Marilda Souza

Leave a comment